quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Doenças, e suas origens

Nossas DOENÇAS: Segundo a psicóloga americana Loise l. Hay, todas as doenças que temos são criadas por nós. 

Afirma ela, que somos 100% responsáveis por tudo de ruim que acontece no nosso organismo.
Todas as doenças tem origem num estado de "não-perdão", diz a psicóloga americana Louise L. Hay.
Sempre que estamos doentes, necessitamos descobrir a quem precisamos perdoar.
Quando estamos empacados num certo ponto, significa que precisamos perdoar mais.
Pesar, tristeza, raiva e vingança são sentimentos que vieram de um espaço onde não houve perdão.
Perdoar dissolve o ressentimento.
A seguir,você vai conhecer uma relação de algumas doenças e suas prováveis causas,elaboradas pela psicóloga Louise.
Reflita, vale a pena tentar evitar as Causas evitando assim as Doenças
AMIGDALITE: Emoções reprimidas, criatividade sufocada.
ANOREXIA: Ódio ao externo de si mesmo.
APENDICITE: Medo da vida. Bloqueio do fluxo do que é bom.
ARTERIOSCLEROSE: Resistência. Recusa em ver o bem.
ARTRITE: Crítica conservada por longo tempo.
ASMA: Sentimento contido, choro reprimido.
BRONQUITE: Ambiente familiar inflamado. gritos,discussões.
CÂNCER: Magoa profunda, tristezas mantidas por muito tempo.
COLESTEROL: Medo de aceitar a alegria.
DERRAME: Resistência. Rejeição a vida.
DIABETES: Tristeza profunda.
DIARRÉIA: Medo, rejeição, fuga.
DOR DE CABEÇA: Autocrítica, falta de auto valorização.
ENXAQUECA: Medos sexuais. Raiva reprimida. Pessoa perfeccionista.
FIBROMAS: Alimentar mágoas causadas pelo parceiro.
FRIGIDEZ: Medo. Negação do prazer.
GASTRITE: Incerteza profunda. Sensação de condenação.
HEMORROIDAS: Medo de prazos determinados. Raiva do passado.
HEPATITE: Raiva, ódio. Resistência a mudanças.
INSONIA: Medo, culpa.
LABIRINTITE: Medo de não estar no controle.
MENINGITE: Tumulto interior. Falta de apoio.
NÓDULOS: Ressentimento, frustração. Ego ferido.
PELE (ACNE): Individualidade ameaçada. Não aceitar a si mesmo.
PNEUMONIA: Desespero. Cansaço da vida.
PRESSÃO ALTA: Problema emocional duradouro não resolvido.
PRISÃO DE VENTRE: Preso ao passado. Medo de não ter dinheiro suficiente.
PULMÕES: Medo de absorver a vida.
QUISTOS: Alimentar mágoa. Falsa evolução.
RESFRIADOS: Confusão mental, desordem, mágoas.
REUMATISMO: Sentir-se vitima. Falta de amor. Amargura.
RINITE ALÉRGICA: Congestão emocional. Culpa, crença em perseguição.
RINS: Crítica, desapontamento, fracasso.
SINUSITE: Irritação com pessoa próxima.
TIREOIDE: Humilhação.
TUMORES: Alimentar mágoas. Acumular remorsos.
ÚLCERAS: Medo. Crença de não ser bom o bastante.
VARIZES: Desencorajamento. Sentir-se sobrecarregado.
Curioso não?
Por isso vamos tomar cuidado com os nossos sentimentos,principalmente aqueles que escondemos de nós mesmos! Aproveite o momento, perdoe, desculpe e faça as pazes, retire o que lhe impede de ser feliz....

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

O quê você deve fazer de dentro para fora...





1- Pense sempre, de forma positiva.
Toda vez que um pensamento negativo vier à sua cabeça, troque-o por outro!
Para isso, é preciso muita disciplina mental.
Você não adquire isso do dia para a noite; assim como um “atleta”, treine muito.

2- Não tenha medo de nada e ninguém.
O medo é uma das maiores causas de nossas perturbações interiores.
Tenha fé em você mesmo.
Sentir medo é acreditar que os outros são poderosos.
Não dê poder ao próximo.

3- Não se queixe.
Quando você reclama, tal como um ímã, você atrai para si toda a carga negativa de suas próprias
palavras.
A maioria das coisas acabam dando errado, começa a se materializar quando nos lamentamos.

4- Risque a palavra CULPA do seu dicionário.
Não se permita esta sensação, pois quando nos punimos, abrimos nossa retaguarda para espíritos opressores e agressores, que vibram com nossa melancolia. IGNORE-OS.

5- Não deixe que interferências externas tumultuem o seu cotidiano.
Livre-se de fofocas, comentários maldosos e gente deprimida.
Isto é contagioso.
Seja prestativo com quem presta.
Sintonize com gente positiva e alto astral.

6- Não se aborreça com a facilidade e nem dê importância às pequenas coisas.
Quando nos irritamos, envenenamos nosso corpo e nossa mente.
Procure conviver com serenidade e quando tiver vontade de explodir, conte até dez.

7- Viva o presente.
O ansioso vive no futuro.
O rancoroso, vive no passado.
Aproveite o aqui e agora.
Nada se repete, tudo passa.
Faça o seu dia valer a pena.
Não perca tempo com melindres e preocupações, pois só trazem doenças.




Obstáculos


Obstáculos foram feitos 
para você ver até onde 
vai a sua fé.

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Para rir um pouco...e o pior é que é verdade..rsrs






A MULHER E O BANHEIRO!!!

O grande segredo de todas as mulheres com relação aos b
anheiros é que quando pequenas,
quem as levava ao banheiro era sua mãe. Ela ensinava a limpar o assento com papel higiênico e
 cuidadosamente colocava tiras de papel no perímetro do vaso e instruía:

 "Nunca, nunca sente em um banheiro público".

E, em seguida, mostrava "a posição", que consiste em se equilibrar sobre o vaso numa posição
de sentar sem que, no entanto, o corpo não entre em contato com o vaso.

"A Posição" é uma das primeiras lições de vida de uma menina, super importante e necessária, e
irá nos acompanhar por toda a vida. No entanto, ainda hoje, em nossa vida adulta, "a posição" é
dolorosamente difícil de manter quando a bexiga está estourando.

Quando você TEM que ir ao banheiro público, você encontra uma fila de mulheres, que faz você
 pensar que o Brad Pitt deve estar lá dentro. Você se resigna e espera, sorrindo para as outras
mulheres que também estão com braços e pernas cruzados na posição oficial de "estou me mijando".

Finalmente chega a sua vez, isso, se não entrar a típica mamãe com a menina que não pode mais se segurar.
 Você, então verifica cada cubículo por baixo da porta para ver se há pernas.
 Todos estão ocupados. É sempre assim.

Finalmente, um se abre e você se lança em sua direção quase puxando a pessoa que está saindo.
Você entra e percebe que o trinco não funciona. Ele nunca funciona.
 Você então pendura a bolsa no gancho que há na porta e se não há gancho (quase nunca há gancho),
 você inspeciona a área.

O chão está cheio de líquidos não identificados e você não se atreve a deixar a bolsa ali, então a
pendura no pescoço enquanto observa como ela balança sob o teu corpo, sem contar que é quase
decapitada pela alça porque a bolsa está cheia de bugigangas que você foi enfiando lá dentro, a
maioria das quais não usa, mas que guarda porque nunca se sabe.

Mas, voltando à porta... Como não tinha trinco, a única opção é segurá-la com uma mão, enquanto,
com a outra, abaixa a calcinha com um puxão e se coloca "na posição".

* Alívio... AAhhhhhh... Finalmente! *

Nessa hora os músculos começam a tremer.
Você está suspensa no ar, com as pernas flexionadas e a calcinha cortando a circulação das pernas,
o braço fazendo força contra a porta e uma bolsa de 5 kg pendurada no pescoço.

Você adoraria sentar, mas não teve tempo de limpar o assento nem de cobrir o vaso com papel higiênico.
No fundo, você acredita que nada vai acontecer, mas a voz de tua mãe ecoa na tua cabeça "jamais sente
em um banheiro público!" e, assim, você mantém "a posição" com o tremor nas pernas.

E, por um erro de cálculo na distância, um jato finíssimo salpica na tua própria bunda e molha até tuas meias!
Por sorte, não molha os sapatos.
Adotar "a posição" requer grande concentração.
Para tirar essa desgraça da cabeça, você procura o rolo de papel higiênico, maaassss, puuuuta que o pariuuuu!
O rolo está vazio. Isso sempre acontece.

Então você pede aos céus para que, nos 5kg de bugigangas que você carrega na bolsa, haja pelo menos um
miserável lenço de papel. Mas, para procurar na bolsa, você tem que soltar a porta.

 Você pensa por um momento, mas não há opção.

E, assim que você solta a porta, alguém a empurra e você tem que freiá-la com um movimento rápido
e brusco enquanto grita OCUPAAADOOOO!

Aí, você considera que todas as mulheres esperando lá fora ouviram o recado e você pode soltar a
porta sem medo, pois ninguém tentará abri-la novamente (nisso, nós mulheres nos respeitamos muito)
e você pode procurar teu lenço sem angústia.

Você gostaria de usar todos, mas quão valiosos são em casos similares e você guarda um, por via das dúvidas.
Você então começa a contar os segundos que faltam para você sair dali, suando porque você está vestindo o
casaco já que não há gancho na porta ou cabide para pendurá-lo.

É incrível o calor que faz nestes lugares tão pequenos e nessa posição de força que parece que as coxas e
panturrilhas vão explodir. Sem falar da porrada que você levou da porta, a dor na nuca pela alça da bolsa,
o suor que corre da testa, as pernas salpicadas.

A lembrança de tua mãe, que estaria morrendo de vergonha se te visse assim, porque sua bunda nunca
tocou o vaso de um banheiro público, porque, francamente, "você não sabe que doenças você pode pegar ali".
Nessa hora você está exausta.

Ao ficar de pé você não sente mais as pernas. Você acomoda a roupa rapidíssimo e tira a alça da bolsa por
cima da cabeça! Então, vai a pia lavar as mãos.

Está tudo cheio de água, então você não pode soltar a bolsa nem por um segundo.
Você a pendura em um ombro, e não sabendo como funciona a torneira automática,
você a toca até que consegue fazer sair um filete de água fresca e estende a mão em busca de sabão.

Você se lava na posição de corcunda de notre dame para não deixar a bolsa escorregar para baixo do filete de água.
O secador? Você nem usa. É um traste inútil, então você seca as mãos na roupa porque nem pensar usar o último
lenço de papel que sobrou na bolsa para isso.

Finalmente você sai do inferno.
Sorte se um pedaço de papel higiênico não tiver grudado no sapato e você sair arrastando-o, ou pior,
a saia levantada, presa na meia-calça, que você teve que levantar à velocidade da luz, e te deixou com a
bunda à mostra!

Nesse momento, você vê o teu carinha que entrou e saiu do banheiro masculino e ainda teve tempo de
sobra para ler um livro enquanto esperava por você.

"Por que você demorou tanto?" — pergunta o idiota.

Você se limita a responder: "A fila estava enorme"

E esta é a razão porque as mulheres vão ao banheiro em grupo.
Por solidariedade, já que uma segura a tua bolsa e o casaco, a outra segura a porta e assim fica muito
mais simples e rápido já que você só tem que se concentrar em manter "a posição" e a dignidade.

Obrigada a todas as amigas que já me acompanharam ao banheiro.



O que uma escritora Holandesa falou do Brasil!





Leia com atenção.

Os brasileiros acham que o mundo todo presta, menos o Brasil, realmente parece que é um vício falar mal do Brasil. Todo lugar tem seus pontos positivos e negativos, mas no exterior eles maximizam os positivos, enquanto no Brasil se maximizam os negativos. Aqui na Holanda, os resultados das eleições demoram horrores porque não há nada automatizado.

Só existe uma companhia telefônica e pasmem!: Se você ligar reclamando do serviço, corre o risco de ter seu telefone temporariamente desconectado.

Nos Estados Unidos e na Europa, ninguém tem o hábito de enrolar o sanduíche em um guardanapo - ou de lavar as mãos antes de comer. Nas padarias, feiras e açougues europeus, os atendentes recebem o dinheiro e com mesma mão suja entregam o pão ou a carne.

Em Londres, existe um lugar famosíssimo que vende batatas fritas enroladas em folhas de jornal - e tem fila na porta.

Na Europa, não-fumante é minoria. Se pedir mesa de não-fumante, o garçom ri na sua cara, porque não existe. Fumam até em elevador.

Em Paris, os garçons são conhecidos por seu mau humor e grosseria e qualquer garçom de botequim no Brasil podia ir pra lá dar aulas de ‘Como conquistar o Cliente’.

Você sabe como as grandes potências fazem para destruir um povo? Impõem suas crenças e cultura. Se você parar para observar, em todo filme dos EUA a bandeira nacional aparece, e geralmente na hora em que estamos emotivos..

Vocês têm uma língua que, apesar de não se parecer quase nada com a língua portuguesa, é chamada de língua portuguesa, enquanto que as empresas de software a chamam de português brasileiro, porque não conseguem se comunicar com os seus usuários brasileiros através da língua Portuguesa. Os brasileiros são vitimas de vários crimes contra a pátria, crenças, cultura, língua, etc… Os brasileiros mais esclarecidos sabem que temos muitas razões para resgatar suas raízes culturais.

Os dados são da Antropos Consulting:

1. O Brasil é o país que tem tido maior sucesso no combate à AIDS e de outras doenças sexualmente transmissíveis, e vem sendo exemplo mundial.

2. O Brasil é o único país do hemisfério sul que está participando do Projeto Genoma.

3. Numa pesquisa envolvendo 50 cidades de diversos países, a cidade do Rio de Janeiro foi considerada a mais solidária.

4. Nas eleições de 2000, o sistema do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) estava informatizado em todas as regiões do Brasil, com resultados em menos de 24 horas depois do início das apurações. O modelo chamou a atenção de uma das maiores potências mundiais: os Estados Unidos, onde a apuração dos votos teve que ser refeita várias vezes, atrasando o resultado e colocando em xeque a credibilidade do processo.

5.. Mesmo sendo um país em desenvolvimento, os internautas brasileiros representam uma fatia de 40% do mercado na América Latina.

6. No Brasil, há 14 fábricas de veículos instaladas e outras 4 se instalando, enquanto alguns países vizinhos não possuem nenhuma.

7. Das crianças e adolescentes entre 7 a 14 anos, 97,3% estão estudando.

8. O mercado de telefones celulares do Brasil é o segundo do mundo, com 650 mil novas habilitações a cada mês.

9.Telefonia fixa, o país ocupa a quinta posição em número de linhas instaladas..

10. Das empresas brasileiras, 6.890 possuem certificado de qualidade ISO-9000, maior número entre os países em desenvolvimento. No México, são apenas 300 empresas e 265 na Argentina.

11. O Brasil é o segundo maior mercado de jatos e helicópteros executivos.

Por que vocês têm esse vício de só falar mal do Brasil?

1. Por que não se orgulham em dizer que o mercado editorial de livros é maior do que o da Itália, com mais de 50 mil títulos novos a cada ano?

2. Que têm o mais moderno sistema bancário do planeta?

3. Que suas agências de publicidade ganham os melhores e maiores prêmios mundiais?

4. Por que não falam que são o país mais empreendedor do mundo e que mais de 70% dos brasileiros, pobres e ricos, dedicam considerável parte de seu tempo em trabalhos voluntários?

5. Por que não dizem que são hoje a terceira maior democracia do mundo?

6. Que apesar de todas as mazelas, o Congresso está punindo seus próprios membros, o que raramente ocorre em outros países ditos civilizados?

7. Por que não se lembram que o povo brasileiro é um povo hospitaleiro, que se esforça para falar a língua dos turistas, gesticula e não mede esforços para atendê-los bem?

Por que não se orgulham de ser um povo que faz piada da própria desgraça e que enfrenta os desgostos sambando.

É! O Brasil é um país abençoado de fato.

Bendito este povo, que possui a magia de unir todas as raças, de todos os credos.

Bendito este povo, que sabe entender todos os sotaques.

Bendito este povo, que oferece todos os tipos de climas para contentar toda gente.

Bendita seja, querida pátria chamada

Brasil!


quinta-feira, 20 de outubro de 2011


Coisas Boas, Ruins e Terríveis

Alerta no Facebook ajuda a localizar jovem baleado em SP




Alerta no Facebook ajuda a localizar jovem baleado em SP

PUBLICIDADE
ANDRÉ CARAMANTE
DE SÃO PAULO

Atualizado às 20h10.
Um rapaz de 22 anos que havia desaparecido na noite de sábado (15) foi encontrado baleado em um hospital em Diadema, na Grande São Paulo, após uma campanha na rede social Facebook iniciada domingo. Ele não resistiu aos ferimentos e morreu.
Irmã apelou para Facebook por 'descaso' da polícia
Corpo de jovem será enterrado nesta quarta
O metalúrgico Renan Fogaça Alípio, 22, foi abordado por criminosos quando estava em seu carro, um Ford Fiesta Hatch, no bairro Pedreira (zona sul de SP). O veículo foi achado abandonado ontem, perto de Diadema.
No domingo, a irmã do rapaz colocou um pedido de ajuda no Facebook, já com a foto do jovem e pediu que a mensagem fosse replicada pelos usuários da rede social.
"Pessoal, meu irmão, Renan Fogaça, foi sequestrado ontem, às 21:15 da noite. Até agora nenhuma notícia. Ele estava no carro dele, um Fiesta Hatch, vermelho, placa [dados omitidos pela reportagem]. Favor verificar com amigos e compartilhar no Facebook pra vê se conseguimos localizar ele. Grata, Karina Fogaça", foi a mensagem que cerca de 90 mil pessoas retransmitiram na rede social.
Arquivo pessoal
Jovem Renan Fogaça foi encontrado baleado em um hospital após uma mobilização no Facebook; ele não resistiu
Jovem Renan Fogaça foi encontrado baleado em um hospital após uma mobilização no Facebook; ele não resistiu
A mensagem chegou à pagina de algum funcionário do hospital, e a família e a Polícia Civil foram avisadas de um jovem com as características físicas do metalúrgico tinha sido socorrido no local.
Alípio morreu em consequência de um tiro na cabeça. No sábado, o metalúrgico havia sido encontrado baleado no Morro do Macaco, que fica na divisa entre as cidades de São Paulo e Diadema. Ele estava sem documentos e, por isso, ficou como indigente no hospital.
No sábado, menos de uma hora depois de o rapaz ter sumido, foram feitos três saques de dinheiro da sua conta bancária. Alípio teria sido baleado pouco depois de fazer os saques.
Como a irmã de Alípio escreveu no Facebook que ele havia sido vítima de um sequestro, a DAS (Divisão Anti-Sequestro), da Polícia Civil de SP, entrou no caso.
Para os policiais da DAS, o metalúrgico foi vítima de uma vingança e não de um sequestro convencional.
O jovem tem outros oito irmãos: quatro mulheres e quatro homens --um deles, Romeu, 16, também foi morto no bairro da Pedreira, em 2004. Até hoje o crime não foi esclarecido pela polícia.

UOL

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

‎*Estamos com fome de amor*





‎*Estamos com fome de amor*

O que temos visto por ai ??? Baladas recheadas de garotas lindas, com roupas cada vez mais micros e transparentes.

Com suas danças e poses em closes ginecológicos, cada vez mais siliconadas, corpos esculpidos por cirurgias plasticas, como se fossem ao supermercado e pedissem o corte como se quer mas... chegam sozinhas e saem sozinhas...

Empresários, advogados, engenheiros, analistas, e outros mais que estudaram, estudaram, trabalharam, alcançaram sucesso profissional e, sozinhos...

Tem mulher contratando homem para dançar com elas em bailes, os novíssimos "personal dancer", incrível.

E não é só sexo não! Se fosse, era resolvido fácil, alguém tem dúvida?

Sexo se encontra nos classificados, nas esquinas, em qualquer lugar, mas apenas sexo!

Estamos é com carência de passear de mãos dadas, dar e receber carinho, sem necessariamente, ter que depois mostrar performances dignas de um atleta olímpico na cama ... sexo de academia . . .

Fazer um jantar pra quem você gosta e depois saber que vão "apenas" dormir abraçadinhos, sem se preocuparem com as posições cabalisticas...

Sabe essas coisas simples, que perdemos nessa marcha de uma evolução cega.

Pode fazer tudo, desde que não interrompa a carreira, a produção...

Tornamo-nos máquinas, e agora estamos desesperados por não saber como voltar a "sentir", só isso, algo tão simples que a cada dia fica tão distante de nós...

Quem duvida do que estou dizendo, dá uma olhada nos sites de relacionamentos "ORKUT", "PAR-PERFEITO" e tantos outros, veja o número de comunidades como: "Quero um amor pra vida toda!", "Eu sou pra casar!" até a desesperançada "Nasci pra viver sozinho!"

Unindo milhares, ou melhor, milhões de solitários, em meio a uma multidão de rostos cada vez mais estranhos, plásticos, quase etéreos e inacessíveis, se olharmos as fotos de antigamente, pode ter certeza de que não são as mesmas pessoas, mulheres lindas se plastificando, se mutilando em nome da tal "beleza"...

Vivemos cada vez mais tempo, retardamos o envelhecimento, e percebemos a cada dia mulheres e homens com cara de bonecas, sem rugas, sorriso preso e cada vez mais sozinhos...

Sei que estou parecendo o solteirão infeliz, mas pelo contrário...

Pra chegar a escrever essas bobagens (mais que verdadeiras) é preciso ter a coragem de encarar os fantasmas de frente e aceitar essa verdade de cara limpa...

Todo mundo quer ter alguém ao seu lado, mas hoje em dia isso é julgado como feio, démodê, brega, familias preconceituosas...

Alô gente!!! Felicidade, amor, todas essas emoções fazem-nos parecer ridículos, abobalhados...

Mas e daí? Seja ridículo, mas seja feliz e não seja frustrado...

"Pague mico", saia gritando e falando o que sente, demonstre amor...

Você vai descobrir mais cedo ou mais tarde que o tempo pra ser feliz é curto, e cada instante que vai embora não volta mais...

Perceba aquela pessoa que passou hoje por você na rua, talvez nunca mais volte a vê-la, ou talvez a pessoa que nada tem a ver com o que imaginou mas que pode ser a mulher da sua vida...

E, quem sabe ali estivesse a oportunidade de um sorriso a dois...

Quem disse que ser adulto é ser ranzinza ?

Um ditado tibetano diz: "Se um problema é grande demais, não pense nele... E, se ele é pequeno demais, pra quê pensar nele?"

Dá pra ser um homem de negócios e tomar iogurte com o dedo, assistir desenho animado, rir de bobagens e ou ser um profissional de sucesso, que adora rir de si mesmo por ser estabanado...

O que realmente, não dá é para continuarmos achando que viver é out... ou in...

Que o vento não pode desmanchar o nosso cabelo, que temos que querer a nossa mulher 24 horas, maquiada, e que ela tenha que ter o corpo das frutas tão em moda, na TV, e também na playboy e nos banheiros, eu duvido que nós homens queiramos uma mulher assim para viver ao nosso lado, para ser a mãe dos nossos filhos, gostamos sim de olhar, e imaginar a gostosa, mas é só isso, as mulheres inteligentes entendem e compreendem isso.

Queira do seu lado a mulher inteligente: "Vamos ter bons e maus momentos e uma hora ou outra, um dos dois, ou quem sabe os dois, vão querer pular fora, mas se eu não pedir que fique comigo, tenho certeza de que vou me arrepender pelo resto da vida"...

Porque ter medo de dizer isso, porque ter medo de dizer: "amo você", "fica comigo", então não se importe com a opinião dos outros, seja feliz!

Antes ser idiota para as pessoas que infeliz para si mesmo!

Arnaldo Jabor






domingo, 16 de outubro de 2011

Tudo passa...





Todas as coisas, na Terra, passam...
Os dias de dificuldades, passarão...
Passarão também os dias de amargura e solidão...
As dores e as lágrimas passarão.
As frustrações que nos fazem chorar... um dia passarão.
A saudade do ser querido que está longe, passará.

Dias de tristeza...
Dias de felicidade...
São lições necessárias que, na Terra, passam, deixando no espírito imortal as experiências acumuladas.
Se hoje, para nós, é um desses dias repletos de amargura, paremos um instante.
Elevemos o pensamento ao Alto, e busquemos a voz suave da Mãe amorosa a nos dizer carinhosamente: isso também passará...

E guardemos a certeza, pelas próprias dificuldades já superadas, que não há mal que dure para sempre.
O planeta Terra, semelhante a enorme embarcação, às vezes parece que vai soçobrar diante das turbulências de gigantescas ondas.
Mas isso também passará, porque Jesus está no leme dessa Nau, e segue com o olhar sereno de quem guarda a certeza de que a agitação faz parte do roteiro evolutivo da humanidade, e que um dia também passará...
Ele sabe que a Terra chegará a porto seguro, porque essa é a sua destinação.

Assim, façamos a nossa parte o melhor que pudermos, sem esmorecimento, e confiemos em Deus, aproveitando cada segundo, cada minuto que, por certo... também passará..."


"Tudo passa... exceto DEUS!"
Deus é o suficiente!

Chico Xavier





quinta-feira, 13 de outubro de 2011

O devedor cara de pau


devedorA carta a seguir foi enviada por um cliente devedor a uma das várias empresas credoras.
“Prezados Senhores, esta é a terceira carta de cobrança que recebo de Vossas Senhorias.
Sei que não estou em dia com os meus pagamentos. Mas acontece que eu estou devendo também a outras lojas e todas esperam que eu pague a elas. Contudo, os meus rendimentos mensais só permitem que eu pague duas prestações no fim de cada mês. As outras ficam para o mês seguinte. Não sou injusto, do tipo que prefere pagar a uma ou a outra empresa em detrimento das demais. Não!
Todos os meses quando recebo o meu ordenado, escrevo o nome dos meus credores em pequenos pedaços de papel, que dobro e coloco dentro de uma caixinha.
Depois, olhando para outro lado, retiro dois papéis, que são os dois “Sortudos” que irão receber o meu rico dinheirinho.
Os outros? Paciência. Ficam para o mês seguinte.
Afirmo aos Senhores, com toda a certeza, que a vossa empresa está presente todos os meses em minha caixinha. Se não paguei ainda, é porque os Senhores estão com pouca sorte.
Finalmente, faço uma advertência a vocês:
Se os Senhores continuarem com essa mania de me enviar cartas de cobrança ameaçadoras e insolentes, como a última que recebi, serei obrigado a excluir o nome da vossa Empresa dos meus sorteios mensais.
Cordialmente.”
*****
É cada figura sem noção que tem por aí… Morro de rir. Não da situação, claro, mas da criatividade, da presença de espírito de certas pessoas.
Mas na boa, muitas pessoas gastam com coisas supérfluas sem poder cumprir com suas obrigações depois. E isso eu acho uma tremenda falta de educação financeira. “Ah, Cirilo, mas eu ganho pouco…” Então compre menos, gaste de acordo com suas possibilidades. Falar é fácil? Nada disso. Você pensa que alguém por ser rico tem tudo facilmente e por isso pode sair por aí gastanto a torto e a direito? Não! Porque eu conheço quem ganha 50 mil por mês e vive “apertado”. A questão não é o quanto se ganha, e sim o quanto se gasta.
Conselho de amigo: organize-se, gaste de acordo com suas possibilidades e seja mais feliz, porque viver sem dever nada a ninguém dá um boom na sua qualidade de vida. Fica a dica. ;)

domingo, 9 de outubro de 2011

Reconhecimento e o Elogio



Reconhecimento e o Elogio
Renato Dias Martino

Desde as primeiras publicações de Sigmund Freud (1856-1939), 
no início do pensamento psicanalítico, por volta de 1885, muitas 
condutas sociais se transformaram e parecem continuar em constante 
mudança. Modelos de costumes de gentileza, por exemplo, que 
eram cultivados em épocas passadas, hoje parecem raros e 
muitas vezes se tornam motivo de espanto.
Assim, não me parece um equívoco dizer que nos depararmos 
com um ato de gentileza em nossos tempos, é sem dúvida motivo de surpresa.

Dessa forma, quando temos a sorte de percebermos uma ação de 
gentileza em alguém que encontramos, no nosso cotidiano, somos
 impulsionados a enaltecer o sujeito desse ato. 

Esse enaltecimento revela o quão raro é encontrar alguém capaz de gentilezas. 
Contudo, essa exaltação ao ato gentil revela, por outro lado, a dimensão 
da tolerância quanto aos comportamentos pouco amáveis que acabam 
por assumir a posição de “lugar comum”. 
Aprontam em incorporar-se naquilo que se pode esperar das pessoas. 

A percepção dessa realidade é a origem do desassossego que me fez 
dedicar as reflexões contidas nas próximas linhas. 

De tal modo, partindo de certo pressuposto que está para o aparelho 
mental, assim como a comida serve ao corpo físico, proponho aqui 
cogitarmos o conceito do reconhecimento. 
Quero propor o conceito de reconhecimento, quanto àquilo que nutre o eu. 


Vínculos que resultam no reconhecimento, trazem a verdade que é em si, 
o alimento da alma. É dessa verdade que se retira o substrato da 
manutenção do funcionamento mental. 
Depende-se disso para o desempenho do pensar. 
O reconhecimento é o resultado da simbolização do objeto conhecido. 
A autoestima parte daí.

O conceito de símbolo começa a ser observado com maior cuidado, 
a partir dos estudos de Melanie Klein (1882-1960), pensadora da 
psicanálise posterior a Freud. Em sua obra 
“Da importância da formação de símbolos no desenvolvimento do ego” 
de 1930, Klein propõe que a capacidade do bebê em simbolizar 
o seio nutridor, é o protótipo de vínculo que pendurará na vida emocional. 

Iniciando daí as tentativas de novas experiências que possam aprimorar 
essa capacidade de simbolizar. 
A partir desse vértice, cada experiência simbólica com a realidade, 
deve habilitar o “eu” a viver a falta e assim, sobreviver mesmo na falta. 
Só depois da experiência da falta é que se pode viver o reconhecimento. 
Conhecemos, vivemos o afastamento do que se conheceu e só 
depois reconhecemos.


Quando proponho o reconhecimento, isso não coincide com o ato de elogiar, 
como mencionado no inicio do texto. Não proponho valorizar o conceito 
efêmero do elogio, que me parece tão pobre em nutrientes e tão inútil 
para funcionamento saudável da mente, quanto à ação da crítica. 

Aquele que elogia, o faz por não ser capaz de reconhecer. 

Por se julga incapaz de reconhecer em si mesmo, aquilo que elogia no outro.



 

Isso na melhor das hipóteses, pois quando a experiência é muito primitiva, 
o que temos é a crítica. A crítica que parte da incapacidade daquele que 
critica, tem efeitos devastadores na qualidade dos vínculos. 
O crítico se fortalece criticando o outro. 
Isso por que despeja o peso de sua incapacidade no objeto da crítica. 

O elogio por sua vez, é o falso reconhecimento. 
Um alimento extremamente pobre no papel da manutenção da autoestima. 
O elogio é gerado por certa impressão superficial da realidade, 
bem distante de uma visão dedicada quanto à profundidade das pessoas e coisas, justamente onde se abre a dimensão do reconhecimento.

O que tentamos chamar aqui de reconhecimento, está na ordem da 
capacidade de percepção da realidade dos fatos. 
Distante do enaltecimento do elogio, que se encontra na ordem 
do idealizado, muito afastado do real. 
O “re-conhecer” trata da experiência de conhecer novamente, 
mas agora contando com a imagem internalizada do 
objeto de reconhecimento. 

Necessitamos da opinião do outro quanto ao que somos. 
Isso existe naturalmente como necessidade de reconhecimento. 
Então, o ego carece disso pois é daí que se nutre a autoestima. 
Contudo sendo o reconhecimento uma qualidade do funcionamento 
mental, deve partir de dentro, ou seja, deve emergir do mundo interno. 

Quero propor que, só é capaz de reconhecer o outro, aquele que 
aprendeu a reconhecer-se a si mesmo. 
No entanto, isso só se dará a partir da experiência desse que hoje 
reconhece, em ter sido, por sua vez, reconhecido. 

Ser reconhecido é perpassar o conhecimento do eu, pela confirmação 
do outro. 
Quero propor que para saber quem somos nós, necessitamos transcorrer 
essa verdade através do olhar do outro. 
Uma verdade sobre o eu, que só o eu conhece, 
não pode ser chamada de verdade. 



Prof. Renato Dias Martino 
Psicoterapeuta 



quinta-feira, 6 de outubro de 2011

Valeu à pena esperar!







A vida é muito curta para acordar com arrependimentos.
Ame as pessoas que te tratam bem.
Ame também, àqueles que não te tratam bem, simplesmente porque você pode.
Se tiver uma segunda chance, agarre-a com as duas mãos.
Se isso mudar sua vida, deixe acontecer!
Beije devagar.
Perdoe rápido.
Deus nunca disse que a vida seria fácil.
Ele simplesmente prometeu que valeria a pena...




Exageros

'Exagerada toda a vida: minhas paixões são ardentes; 
minhas dores de querer morrer; louca do tipo desvairada; 
durmo treze horas seguidas; meus amigos são semi-irmãos; 
meus amores são sempre eternos e meus dramas, mexicanos!'

'Sou composta por urgências: minhas alegrias são intensas, 
minhas tristezas, absolutas. Me entupo de ausências,
 me esvazio de excessos. 
Eu não caibo no estreito, eu só vivo nos extremos. 
Eu caminho, desequilibrada, em cima de uma linha tênue 
entre a lucidez e a loucura.'

Clarice Lispector



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...